Como escolher a melhor sapatilha de ponta.

Por Blog Danzarin, 15 de março de 2012
Uma das perguntas mais comuns é: Qual é a melhor sapatilha de ponta? 
 
Isto é uma pergunta de difícil resposta, até porque, a melhor, em geral, é a que você já esta acostumada a usar. Trocar de marcas de sapatilha de ponta, sempre exige uma certa adaptação ao novo modelo. Mas existem alguns parâmetros que podemos adotar para uma melhor escolha. 
 
1º – Qualquer que seja a marca, o fabricante deve lhe oferecer opções de variedades de modelos para os diversos tipos de pé, escala de medidas de tamanho de número e número e meio, exemplo, número 37 e 37 ½. 
 
2º – A palmilha de cada modelo deve ter variações no grau de dureza, para poder adaptar-se a curvatura do peito de pé, peso da bailarina, força do pé e nível técnico. 
 
3º – É desejável também, que ofereça modelos para o nível de iniciantes, intermediários e adiantados, e assim a bailarina evolui sem a necessidade de trocar de marca. 
 
Ao ajudarmos uma bailarina na escolha da sapatilha, de uma maneira simplista, avaliamos quatro itens: 
 
– A terminação dos pés (Pé Egípcio-Grego-Polinésio), que definirá o modelo da sapatilha,
– O peito do pé (eixo lateral) versus palmilha, 
– O peso, 
– O nível técnico. 
 
 
Tipos de Pé 
 
O primeiro passo na escolha da sapatilha é definir o tipo de pé da bailarina 
 
Os pés podem ser categorizados em três grupos distintos segundo a terminação dos dedos. Pés tipo Grego (A), Egípcio (B) e Quadrado ou Polinésio (C). 
 
O traço preto faz referencia ao apoio que o Box dará aos dedos. 
 
Ao examinarmos o pé, devemos fazer uma compressão, com a mão, nas bordas laterais do pé, a fim de ter uma idéia de como o pé vai ficar quando sofrer a compressão do Box, e assim identificar melhor o formato do pé. Para cada formato de pé, existe um modelo de sapatilha. 
 
 
Peito de Pé versus Palmilha 
 
A regra aqui é, quanto mais peito de pé, mais dura a palmilha; quanto menos peito de pé, mais macia a palmilha. A força do pé também deve ser considerada, porém percebo que as pessoas não têm a menor idéia do que é um pé forte; tanto que, é comum ouvir que a sapatiha quebra por que o pé é muito forte, o que raramente é verdade. 
 
Com relação ao tamanho da palmilha, o padrão atual é ¾, porém, alunas com muito peito de pé, podem usar palmilhas inteiras, o contrário quase nunca, salva nos casos de sapatilha iniciante com palmilha inteira, nestes casos, apesar da palmilha ser inteira, toda a sapatilha é mais macia, inclusive a palmilha. 
 
Outro aspecto a ser considerado é o eixo de apoio ideal. Na figura (A) temos o eixo ideal, onde o centro do tornozelo alinha-se em linha reta com o s dedos; nesta situação podemos escolher a sapatilha segundo a força do pé, ou o nível técnico da bailarina. Na figura (B) , temos a situação em que o pé tem pouco peito de pé, impedindo que a bailarina tenha um bom alinhamento e equilíbrio na ponta, nesta caso, usamos uma palmilha macia, que não seja uma resistência para subir na ponta. Na figura (C), temos o pé com muito peito de pé, e que vai além do eixo ideal, nestes casos, damos preferência para palmilhas mais duras, a fim de segurar o pé, e evitar que os dedos saiam do Box ao subir rapidamente. 
O Peso 
 
Qualquer tentativa de usar sapatilha de ponta com peso acima da média, gera uma sobrecarga nociva aos pés, por isso precisa sempre de muita atenção ao uso e escolha de sua sapatilha de ponta 
 
Vamos às regras para facilitar: 
 
– Magrinha: sapatilha macia, com palmilha macia, 
 
– Nem magra, nem gorda: Palmilha normal ou reforçada, 
 
– Gordinha ou muito alta (pesada): Palmilha reforçada ou super reforçada. 
 
OBS.: Quando temos a mescla de fatores divergentes, como por exemplo: pouco peito de pé (palmilha macia), com muito peso (palmilha reforçada); a sugestão é optar por palmilha reforçada. 
 
 
Nível Técnico 
 
Não tem muito mistério. 
 
– Iniciantes: Usar sapatilhas para iniciantes, que geralmente são sapatilhas macias, palmilhas inteiras ou três quartos, com solas de mesmo tamanhos. 
 
– Adiantado ou Profissionais: São sapatilhas mais firmes, geralmente com palmilhas de tamanho ¾ ou ½ no caso das profissionais. 
 
Neste caso não significa que uma menina não possa usar uma sapatilha profissional caso queira, pode, mas terá que ter um pé forte e um bom nível técnico. 
 
Podemos colocar uma sapatilha profissional em uma iniciante ? 
 
Sim podemos, pois há casos como, por exemplo, uma menina com o pé muito largo, e como não há sapatilha iniciante com Box quadrado, colocamos uma Nikya ou Anne mas com uma palmilha do tipo “S” (Soft), para compensar. 
 
 
Algumas Considerações 
 
– Não é unicamente a dureza da palmilha que dará a durabilidade da sapatilha. Fatores como modo de uso e conservação da sapatilha terão maior importância. 
 
– Não guardar a sapatilha em sacos plásticos, pois o suor fará com que a sapatilha amoleça rapidamente. 
 
– Não deixar as ponteiras dentro da sapatilha após o uso, pelo mesmo motivo exposto acima. 
 
– Sapatilha adora sol, após cada uso, devemos deixá-la secar ao sol . Isto ajudará a manté-la dura por mais tempo. 
 
– Evite “quebrar” a sapatilha com as mãos ou debaixo de móveis ou pianos. Isto só acelera o amolecimento da mesma. A sapatilha deve ser moldada no pé com o uso, ou levemente amassada a sola na altura da curvatura do peito do pé. 
 
– Não ficar limpando com álcool ou Veja, ou usando maquiagem para esconder a sujeira. O melhor é usar uma meia por cima da sapatilha, isto manterá a sapatilha limpa até o espetáculo. 
 
– Sapatilhas duram em média de 3 a 6 meses para iniciantes, 1 a 2 meses para adiantado em diante, podendo durar até 2 semanas no caso de profissionais . Lembrando que vários fatores interferem na durabilidade, sendo o mais importante o modo de uso. 

Comente, sugira e participe:

comentários

Please enter an Access Token on the Instagram Feed plugin Settings page.