Saiba os 5 estágios do desenvolvimento de uma pessoa no Tango

Por Blog Danzarin, 14 de agosto de 2017

Os 5 estágios do desenvolvimento de uma pessoa no Tango, do interesse ao vício
por Cleidson Diniz e Bel Miranda.

Cleidson Diniz – Hoje a gente está aqui pra contar os 5 estágios do desenvolvimento de uma pessoa no tango.
É meio que um processo e eu queria que você tentasse identificar onde é que você se enquadra.
Se é no 1º se é no 2º ou se é no último estágio.

Bel Miranda – Bom o primeiro que a gente observa é o:

  1. Interesse

Várias pessoas, às vezes, entram em contato ou viajam para Buenos Aires e dizem.

“Eu tenho muito interesse em aprender a dançar tango”

Mas não tomam aquela atitude de começar a dançar, procurar aulas, procurar um professor pra iniciar os estudos.

CD – E, às vezes, o interesse é porque outra pessoa falou pra ela que dança tango e ela “Quem sabe um dia eu venha a começar a dançar” ou porque ela viu um filme…

É o estágio em que está namorando com o estilo mas não começou, não deu o primeiro passo.

E, aí sim, no segundo passo ela procura e começa:

  1. Começa a fazer aula

É tudo novo pra ela!
Ela entra numa escola ou ela começa a fazer aulas particulares ou ela dá seu primeiro passo finalmente em direção a esse sonho, pois ela não acredita muito que possa ser real, que possa ser possível, mas ela se dá a oportunidade.
E isso é muito bom!

BM – É superimportante! A gente não tem como aprender só no baile, você tem buscar um local pra fazer aula ou procurar um profissional pra fazer aula e conseguir se desenvolver bem no tango, se desenvolver até de forma mais rápida.

CD – Porém ela ainda está no nível 2, ou seja, ela só quer fazer aula, não se sente à vontade de dar o próximo passo que é:

  1. Começar a ir bailar

BM – Ir para as milongas! Este passo é superimportante. É a hora que a pessoa está começando a se sentir bem, começando a se sentir seguro e começa a arriscar seus primeiros passinhos na milonga.

É um momento muito legal também porque você começa a conhecer todas as outras pessoas que dançam, a comunidade tanguera, é um novo mundo, você se abre a se socializar e é maravilhoso!

CD – Tem que ter cuidado, pois tem muita gente que para antes deste terceiro, começa a fazer aula, daí faz 2 meses de aula e desiste. Mas ela não teve a oportunidade de ver o tango na prática. Então, cuidado! Chegue sempre no terceiro nível pra que você veja na pratica o tango se desenvolvendo.

BM – “Pra mim a milonga é um momento que a gente está ali realmente vivenciando toda a cultura, tudo que o tango pode nos proporcionar.

CD – Aí a gente vai pro quarto nível.

A partir do momento que você já dança, já tem o hábito de ir para as milongas, algumas pessoas chegam no quarto nível que é o que?

Elas passam a apreciar muito mais a parte teórica do tango, entender mais sobre os dançarinos, entender mais sobre a música.

  1. Apaixonado pela teoria

É engraçado porque as orquestras começam a aguçar o sentido da pessoa ao ponto de que ela escuta um tango e… Opa…este aqui é Juan d´Arienzo, ahhh… este aqui deve ser Pugliese.
E essa começa a ser uma brincadeira natural, os tangos não são mais tão desconhecidos pra esta pessoa. Pelo contrário, na verdade ela já está tendo o hábito, ela já escutou muitos tangos.

BM – Já tem uma playlist diária pra escutar.

CD – Então quando chega neste estágio a pessoa já está bem envolvida com o tango e isso é muito legal porque tem toda a parte teórica que também está por trás e este seria o quarto nível.

BM – Porém tem o quinto nível, que é o nível master que é o nível:

  1. Viciado

É aquela pessoa que realmente está levando o tango como estilo de vida, sempre frequentando as milongas, indo pra Buenos Aires ou pra outros estados e está sempre atrás de onde tem tango, para viver esta experiência em outros locais.

CD – Ela já respira o tango, as férias dela são programadas pensando onde é que ela vai dançar, sempre que ela sai de casa num final de semana ela já pensa:

“Poxa será que toca tango?”

Os amigos dela, a maioria, já são dançarinos e a vida dela é respirar tango, o tempo todo pensa nisso, escuta tango sempre que pode… Viciado, né! Aquele cara ou aquela dama que não perde uma milonga, fica se coçando, se, por exemplo, passar duas semanas sem dançar. É um martírio!

BM – E o legal destas pessoas é, elas incentivam muito as outras a conhecer o tango!
Por que neste ponto você conheceu todas as facetas do tango, então você entende a fundo.
Você consegue mostrar pra outras pessoas como o tango é rico e tem a oportunidade de vivenciar muitas experiências incríveis.

CD – Então a pergunta é:

Em que ponto você está?

Você está começando…você já começou a fazer aulas… ou seja, você está só no interesse ou você está só fazendo aulas… ou você já aprecia a música?

Ou está indo pras milongas?

Ou você já é um viciado de carteirinha e está totalmente envolvido com o tango?

Deixe aqui nos comentários pra gente saber e fazer um levantamento do seu nível de envolvimento com o tango e até mesmo incentivar outras pessoas.

Cleidson Diniz e Bel Miranda são especialistas no ensino do Tango.
Juntos, eles já ensinaram o Tango para centenas de pessoas, através de aulas regulares para todos os níveis, presenciais e On-line.
Viajam todos os anos para Buenos Aires para renovar seus conhecimentos práticos e teóricos, além de vivenciar a cultura portenha das Milongas (Bailes de Tango).
São apaixonados por estudar, além da dança, a música do Tango, incluindo suas Orquestras, Cantores e Escritores, enriquecendo de detalhes às aulas ministradas pelo casal

Comente, sugira e participe:

comentários

Please enter an Access Token on the Instagram Feed plugin Settings page.