Conheça 6 dicas sobre como comprar com inteligência no mercado

Por Enio Willian da Silva, 5 de setembro de 2017

Construir um bom orçamento doméstico e poupar dinheiro para a realização de planos futuros são itens essenciais para qualquer indivíduo ou família que deseja uma vida financeira melhor. Para isso, algumas atitudes se fazem necessárias no dia a dia. É como uma linda dança. Ela só acontece e se mostra fabulosa quando vista em sua totalidade. Contudo, uma linda dança é a junção e a harmonia de vários pontos essenciais: a execução de inúmeros passos, a presença de sentimentos e a conexão entre a música e movimentos sincronizados.

A ausência de um desses itens faz com que a dança não aconteça.

Na vida financeira o princípio é o mesmo. Quem deseja administrar melhor os poucos recursos que possui, deve adotar alguns passos na vida cotidiana. Sabe aquela ida ao supermercado? Sabe aquele hábito que você considera sem muita importância, mas que é praticada todos os dias? São esses detalhes que fazem a diferença na gestão financeira.

Buscando trazer melhorias nesse sentido, listei aqui diversas dicas valiosas que proporcionarão a você e sua família mais eficiência na gestão do dinheiro. Afinal de contas, é preciso fazer economia para que a poupança aconteça.

 

Dicas de economia em supermercados:

 

Dica 1: Evite fazer compras com fome. Se você vai ao supermercado antes do almoço ou da janta, todas as comidas e bebidas desejarão pular para o seu carrinho de compras. A vontade de comprar alimentação aumenta bruscamente. As pessoas costumam gastar mais comprando itens desnecessários e supérfluos em decorrência da sensação de fome que possuem;

 

Dica 2: Faça uma lista, ainda em sua casa, de tudo o que deseja comprar e entre no supermercado já sabendo o que irá colocar na cesta de compras. Se você vai ao supermercado sabendo o que precisa comprar, dificilmente realizará compras por impulso. Anote tudo em um papel e concentre-se nessa lista. Você perceberá claramente a mudança em seu bolso;

Dica 3: Evite levar crianças no momento das compras. Você pode até discordar comigo, mas supermercados não são parques de diversão, lugares turísticos ou lugares para passeios. Os produtos dispostos nas prateleiras não são colocados ali ao acaso.
A padaria e o açougue, considerados departamentos essenciais, não ficam localizados ao fundo do supermercado à toa. Você precisará percorrer várias prateleiras até chegar ao pão, ou à carne, que você deseja comprar. A chance de você pegar “algo mais” aumenta. Os bombons e guloseimas não ficam ao lado do caixa sem propósito. Até no último segundo antes de efetuar o pagamento, o supermercado quer que você compre algo mais. Cada produto é colocado em um lugar estratégico.

Os produtos voltados para o público infantil são colocados nas prateleiras em lugares de fácil acesso, ao alcance dos pequeninos. Quando você menos espera, a criança já colocou um brinquedo ou um chocolate em seu carrinho de compras. Como ela conseguiu essa proeza? Esses produtos estavam ao alcance delas. Retirá-los, depois, será mais difícil. Portanto, se você leva seu filho pequeno ao supermercado, a chance de você gastar mais aumenta significativamente;

 

Dica 4: Os preços dos produtos costumam subir no período de pagamento e isso não acontece por acaso. Os empresários sabem que nos primeiros dias do mês as famílias estão com dinheiro no bolso e a dispensa vazia. Dias depois, os preços voltam a cair. Por isso, os supermercados fazem promoção para atrair os clientes na medida em que o mês vai se findando. Acabou de receber seu salário? Vá com calma! Pesquise muito. Se possível, guarde uma parte do dinheiro para aproveitar algumas promoções que surgem no final do mês;

 

Dica 5: Não se iluda! Nem toda “oferta” divulgada vale a pena. Em muitos casos, os supermercados colocam um produto em promoção e sobem os preços de outros. No final, os clientes acabam comprando muito mais de outros produtos mais caros do que daqueles que estão em promoção;

 

Dica 6: Leve uma calculadora e não tenha preguiça de ler. Algo vem acontecendo nestes últimos anos e muitos ainda não perceberam.

Responda rápido: qual é o peso de uma caixa de bombom vendida no supermercado? Qual o peso de um sabonete? Poucas pessoas se atentam para isso.

Em anos atrás, uma caixa de bombom pesava 400g. Um sabonete pesava 90g. O peso de um pacote de bolacha recheada era de 200g. O que acontece hoje? Gradativamente, os fabricantes vêm diminuindo o peso de seus produtos, permitindo que os preços subam devagar.

O consumidor tem a sensação de que o preço final do produto continua o mesmo. Trata-se de uma forma mascarada de reajustar os preços. Sempre que você for fazer suas compras, veja se o produto que está comprando continua com o mesmo peso ou se você está pagando o mesmo preço para levar menos quantidade para sua casa.

Comente, sugira e participe:

comentários

Please enter an Access Token on the Instagram Feed plugin Settings page.